Food News Latam - Consumo interno de café recupera crescimento e aumenta 1,24%

 

facebook  Twiter  GooglePlus In Youtube

Consumo interno de café recupera crescimento e aumenta 1,24%

Brasil Bebidas

O consumo interno de café no Brasil, que havia registrado uma retração de -1,23% em 2013, mostrou recuperação de +1,24% e atinge 20,333 milhões de sacas nos doze meses compreendidos entre Novembro/2013 e Outubro/2014. O consumo per capita também aumentou ligeiramente, passando a 4,89 kg/habitante.ano de café torrado e moído (6,12 kg de café verde em grão), o equivalente a 81 litros/habitante.ano. 

No período, as grandes empresas evoluíram e ampliaram sua participação sendo que várias delas aumentaram o volume em níveis próximos dos dois dígitos. Mas de um total de 1.428 empresas cadastradas em todo país em final de 2013, das quais 455 são associadas da entidade, a ABIC apurou uma redução para 1.299 empresas em final de 2014, queda de 9,0%. As 10 maiores empresas apresentaram uma participação de 74,4% em volume, sobre o total produzido pelas associadas, enquanto as 50 maiores participaram com 89,5% e as 100 maiores, com 94,6%.

A forma tradicional de fazer café com garrafa e filtro ainda é a mais popular. Cerca de 84% dos consumidores preparam o café filtrado, enquanto 4% declaram utilizar preparação em monodoses ou cápsulas. O maior consumo é registrado no café da manha, por 78% dos entrevistados, seguido do café da tarde com 49%. A classe A (8,5 milhões de pessoas) tem mais opções para o preparo do café, utilizando tipos diferentes de máquinas, sendo que 29% dessa classe social possui máquinas de cápsulas e 19% tem cafeteira tipo italiana. Na classe A, 72% dos consumidores tomam café expresso, enquanto na classe D este total é de 26%. A Qualidade é percebida como sabor gostoso que permanece na boca, aroma agradável e consistente. O consumidor esta melhorando a sua percepção sobre a qualidade e as diferenças entre cafés. Os cafés tipo Gourmet, pouco conhecidos ate poucos anos, já são identificados por 37% dos consumidores, sendo que 51% da classe A responde que conhece e aprecia cafés Gourmet. Além disso, 44% do público responde que estaria disposto ou muito disposto a pagar a mais por estes cafés, desde que reconheçam uma qualidade superior.

A maior quantidade de café continua sendo consumida dentro do lar, com 67%, enquanto o consumo fora do lar, em média de 33%, é maior nas pessoas da classe A, entre os homens e com destaque para os jovens entre 16 e 29 anos, que já participam com 28% desse consumo. 

O consumo de café em monodoses, seja na forma de cafés expressos, cafés em saches ou em cápsulas, esta crescendo acentuadamente. Apesar de estar presente em apenas 1% dos lares no final de 2014 (474 mil lares), a expectativa das empresas que atuam neste segmento é a de crescer até 20% dos lares nos próximos 10 anos. As cápsulas ampliaram seu volume em 2014, sobre 2013, em 52,4%, para 660 mil quilos, e 55,5% em valor. Os números traduzem o grande interesse que existe pelo consumo desta forma de preparo, baseado na conveniência, praticidade e alta qualidade das várias marcas que atuam no segmento. 91% dos lares que possuem máquinas de cápsulas são das classes A e B. São Paulo e a região Sul concentram 53% das vendas, mas o segmento cresce em ritmo acelerado em todas as áreas. 

A ABIC estima que o consumo de café volte a crescer de forma mais intensa em 2015, alcançando os 21 milhões de sacas no ano. A diversidade de produtos oferecidos, com maior qualidade, muitos deles certificados pelo PQC – Programa de Qualidade do Café da ABIC e sustentáveis tem mantido o interesse dos consumidores. Grandes marcas e marcas regionais ou locais, nas grandes cidades e diversas regiões, principalmente Nordeste e Centro-Oeste, são responsáveis pela reconhecida melhoria da qualidade do café desde os produtos para o dia-a-dia, Tradicionais, Fortes e Extra Fortes, até os cafés Gourmet. Os cafés Superiores aparecem como alternativa para aqueles que desejam mais qualidade sem pagar preços muito elevados. As secas de 2014 e a atual, não prejudicaram a qualidade do grão de forma expressiva e em muitas regiões produtoras, a qualidade foi excepcional. Isto permitiu a indústria manter ou melhorar os seus produtos. A resposta dos consumidores virá com mais consumo. Selo de Pureza e benefícios do café e saúde serão foco da comunicação institucional da ABIC em 2015. 

Derechos Reservados©
Solo si se reconoce la fuente con el enlace hacia Food News Latam® se permite la total o parcial reproducción del contenido.
Fuente: Food News Latam® www.foodnewslatam.com

 

Suscribase Newsletter semanal food

ING  CARN 

PAN z CON  

Nuevos Productos

 

BetaVia
     Exberry logo PP
  image002Beneo logo
   Logo BC30Logo Wellmune
   Rousselot Peptan
     Agropur Logo
Logo Tomra
|